home Bloco-notas
Portuguese blogspotting
logotipo


links em nova janela



18.5.03

XVI


Porri-potente herói, que uma cadeira
Sustens na ponta do caralho teso,
Pondo-lhe em riba mais por contrapeso
A capa de baetão da alcoviteira;

Teu casso é como o ramo da palmeira,
Que mais se eleva, quando mais tem peso;
Se o não conservas açaimado e preso,
É capaz de foder Lisboa inteira!

Que força tens no hórrido marsapo,
Que assestando a disforme cachamorra
Deixa cornos e cus feitos num trapo!

Quem ao ver-te o tesão há não discorra
Que tu não podes ser senão Priapo,
Ou que tens um guindaste em vez de porra?

(MMBB)


dedicado a O moralista



03:09

Prémio para a melhor legenda


envie a melhor legenda em comentar



o prémio para a melhor legenda é um magnífico prato de moelas

02:49


17.5.03

imagem de www.humordomo.com.br


15:56


16.5.03

XIX


Coirões das quatro partes do universo,
De galico voraz envenenados!
Se deste canto meu, deste acre verso
Ouvirdes porventura os duros brados:
Em bando marcial, coro perverso,
Vinde ver um cação dos mais pescados.
Vinde cingir-lhe os louros, e devotos
Beijar-lhe as asas, pendurar-lhe os votos.

(MMBB)

dedicado aos confrades Marretas


03:58

Soneto


Esqueleto animal, cara de fome,
De Timão, e chapéu à holandeza,
Olhos espantadiços, boca acesa,
Donde o fumo, que sai, a todos some.

Milagre do Parnaso em fama e nome,
Em corpo galicado alma francesa,
Com voz medonha, língua portuguesa,
Que aos bocados a honra e brio come.

Toda a moça, que dele se confia,
É virgem no serralho do seu peito;
Janela que se fecha, putaria!

Neste esboço o retrato tenho feito;
Eis o grande e fatal Manuel Maria,
Que até pintado perde o bom conceito.

(anónimo)

dedicado aos confrades do Fumaças


03:50

XXXVIII


Eu, foder putas?... Nunca mais, caralho!
Hás-de jurar-mo aqui, sobre estas Horas:
E vamos, vamos já!... Porém tu choras?
«Não senhor (me diz ele) eu não, não ralho.»

Batendo sobre as Horas como um malho,
«Juro (diz ele) só foder senhoras,
Das que abrem por amor as tentadoras
Pernas, àquilo que arde mais que o alho».

Co'a força do jurar esfolheando
O sacro livro foi, e a ardente sede
O fez em mar de ranho ir soluçando...

Ah! Que fizeste? O céu teus passos mede!
Anda, herético filho miserando,
Levanta o dedo a Deus, perdão lhe pede!

(MMBB)


03:38


15.5.03

Encontro de weblogs


Ver em http://www.encontrodeweblogs.blogspot.com/.

23:29

Vodafone, TMN e Optimus: As três Famílias



Pergunta: Porque será que existem três operadores de comunicações móveis em Portugal?

Resposta: Para poderem dividir os consumidores em três grupos; assim, existem 33% de probabilidades de cada um ligar para uma das outras duas.

Pergunta: E isso serve para quê?

Resposta: Para cada uma dessas três empresas aumentar os lucros exponencialmente. As ligações entre redes são muito mais caras do que dentro da própria rede.

Pergunta: Uma chamada de uma rede para outra é mais cara do que dentro da mesma rede, porquê?

Resposta: Porque as três empresas combinaram isso entre si.

Pergunta: Não há nenhum motivo técnico para isso?

Resposta: Não. No fundo, a rede operacional é apenas uma. Mesmo com antenas diferentes, e, portanto, com investimentos próprios, cada empresa utiliza também as redes das outras duas.

Pergunta: E como são determinados os preços?

Resposta: Por puro arbítrio e convénio entre as administrações das três.

Pergunta: Mas isso não é monopólio?

Resposta: Não, visto que são três e não apenas uma empresa. Tecnicamente, isto não é considerado monopólio. O que vem a ser, de resto, uma notável manobra de engenharia financeira e muito brilhante manobra política.

Pergunta: Existe alguma diferença entre os três operadores?

Resposta: Nenhuma. Nem técnica, nem de oferta de serviços, nem de preço concorrencial. A diferença está no nome e em ligeiríssimas diferenças nos preços praticados. Mas esta diferença de preços, além de irrelevante, destina-se exclusivamente a transmitir ao consumidor a ilusão de que existe realmente alguma ventagem em aderir a esta e não àquela.

Pergunta: Entao... para que são três e não apenas uma?

Resposta: Voltamos ao princípio. Para inflaccionarem artificialmente os preços.

Pergunta: E porque se sujeitam os consumidores a isso?

Resposta: Porque não têm alternativa. Esta seria mudar de operador, mas ficaria sempre na mesma, porque os tarifários são combinados entre as três empresas.

Pergunta: E porque não resultam as acções de protesto dos consumidores?

Resposta: Primeiro, porque não há alternativa, nem jurídica nem de mercado, nem, pelos vistos, política. Segundo, porque os grupos de pessoas que tentam fazer alguma coisa sobre isto estão infiltrados, e são geralmente dirigidos, por militantes ligados a todas as chamadas "causas mediáticas", desde a defesa do lince da Malcata à abolição das portagens, passando pelo chamado "pacifismo" anti-americano, a ecologia de opereta, etc.; é gente que tenta barrar sistematicamente qualquer empreendimento, seja auto-estrada, barragem, rotunda, aeroporto, aterro sanitário, ou o que for. O público em geral não se identifica e nem quer ter nada a ver com esses profissionais das "jornadas de luta", do "não pagamos" e do "abaixo" isto e aquilo.

Pergunta: O mais recente aumento generalizado de preços foi motivado por quê?

Resposta: Por absolutamente nada, a não ser o livre arbítrio das respectivas administrações, com a complacência do Governo português. O motivo alegado, de indexação à taxa de inflação prevista pelo Banco de Portugal para o ano em curso, é - além de especulativo - fundamentado numa premissa capciosa: a de que as tarifas de base já eram justas, devidas, ou tecnicamente justificáveis.

Pergunta: Mas não há entidades reguladoras? Ninguém é responsável por isso?

Resposta: Existem entidades reguladoras, sim; a nível nacional e a nível da União Europeia. As mesmas que permitiram que as coisas tenham chegado a este ponto. Portanto, não se deve esperar grande coisa dessas entidades. Nem sequer que funcionem, pura e simplesmente.

Pergunta: Portanto, isto é, como se costuma dizer, comer e calar.

Resposta: Exacto.

Pergunta: As suas respostas são a que título? Particular ou oficial?

Resposta: É apenas a minha opinião pessoal. As suas perguntas foram feitas a que título?


19:19


14.5.03

Boloni=Boloney


Por alguma razão que nos escapa, o weblog da lagartagem pôs um link aqui ao BL, dedicando este modesto dazibao electrónico à esposa do treinador do SCP, Sr. Lazlo Boloni. Se bem que haja por aqui uma esmagadora maioria de lampiões, como forma de agradecimento e retribuição, passamo-vos a seguinte, preciosa informação:

Em Inglês (EUA), Boloney quer dizer disparate, tolice, conversa tola.


Bem me parecia que o nome do sr. romeno me fazia lembrar alguma coisa. Afinal, os americanos até dão uns toques na chincha redonda.

Mas persiste a dúvida existencial: o que tem o BL a ver com aquela certamente seriíssima senhora? Dúvida encalacrante.

15:14

Ferramentas



Havia uma figura genial n'Os Marretas, o cozinheiro sueco, um tipo muito castiço de grande nariz e barrete a condizer. Cozinhava sempre uma galinha e explicava tudo em... sueco, de forma que não se entendia patavina. Quando estava a cozinhar a pobre galinha, geralmente viva, ia cantando qualquer coisa como "rru-midu-midu-midu-midu, tuishcadu, muc, muc, muc!"; de vez em quando, explicava o que estava a fazer: "ohlIi Kalii mahaklii uanieji... chicken!" (agarrei esta galinha que estava ali fora). Etc.
Enfim, já não sei se era este se outro quem falava dos "segredos do cozinheiro sueco". Ou seja: aquelas coisinhas de lana caprina que todo o sapateiro guarda para si, só para os outros sapateiros não descobrirem a arma secreta de meter meias-solas como ninguém.
Como em todos os ramos da actividade humana, nestas coisas das nets e das informáticas, e tal, a coisa funciona do mesmo modo: toda a gente sabe que qualquer idiota faz uma página, site ou weblog; mas (quase) todos os "génios" guardam para si os "segredos" da "arte" (bolas que lá se me vão gastar as aspas outra vez).

Enfim, não havendo no BL um único génio, nem cozinheiros suecos, e nem sequer sapateiros, seguem-se algumas ferramentas e coisas básicas para quem anda nestas lides bloguistas. à maneira dos Óscares:


Melhor gestor para weblogs:
W.Bloggar:
- editar localmente, tanto "posts" como "templates
- guardar no disco, idem
- enviar para o "host" (blogspot, por exemplo), idem
- alterar, idem
- importar séries de "posts"
- gerir múltiplos "weblogs"
- publicar em múltiplos "weblogs"
- contém ferramentas básicas de edição/escrita HTML
- em Português (Brasil) ou Inglês

Melhor editor para "posts" e páginas HTML (&etc.):
Ace HTML 5 freeware
- todas as ferramentas para escrita correcta em todas as linguagens comuns mais actuais
- corrector de HTML
- verificação de links internos e externos
- parametrização completa
- dezenas de javascripts
- etc., etc., etc. Nunca mais acaba; quem tem o Ace não precisa de mais nada.

Melhor gestor de FTP (para enviar e receber ficheiros, ok?):
Ace FTP 3 freeware
- totalmente parametrizável
- "interface" muito simples
- rápido, sem "bugs" e sem complicações
- comparação de ficheiros "local/remote"
- gestão de "time-out"
- etc., etc., etc. Nunca mais acaba; quem tem o Ace não precisa de mais nada.

Melhor "browser" (ferramenta de navegação):
Opera
- é grátis e não chateiam muito
- mais rápido e mais fiável do que o Explorer
- podes-se importar tudo do IE, desde "favoritos" a livro de endereços
- pode correr em simultâneo com outros (IE, NS, etc.)
- "interface" muito mais inteligente do que o do IE (as mensagens de erro deste são uma anedota)
- utiliza visualização em projecção de slides, como "equipamento de base"
- integração perfeita com "email"

Melhor maneira de resolver o problema da acentuação e diacríticos do Português:
Escrever entre as tags <head> </head> (todas as tags se escrevem entre "brackets" < >; as de tipo "meta" devem ser finalizadas com "/>")

o seguinte:
<meta http-equiv="CONTENT-TYPE" content="text/html; charset=ISO-8859-1">
<meta http-equiv="CHARSET" content="ISO-8859-1">
<meta http-equiv="CONTENT-LANGUAGE" content="Portuguese">

Melhor serviço de comentários para cada "post":
Enetation
- não é muito diferente dos outros, mas ao menos - até agora - nunca falhou
- a parametrização é muito simples
- tem uma boa gama de modelos à escolha
- código facilmente alterável, HTML e CSS
- permite gerir "posts/comments" (apagar, alterar, bloquear "sender IP", etc.)

Melhor fornecedor de ferramentas para sites/weblogs:
Bravenet
- contador, guestbook, chatroom, mailing list, host, etc. e tudo o mais
- não chateiam com (muita) publicidade e é tudo à borla
- extensa biblioteca de freebies, freeware
- newsletter muito bem feita, o que é raro

Melhor "validador" simples de HTML (sem "links checking"=verificação de links):
CSE HTML validator Lite
- validação segundo parâmetros multiplataforma
- ferramentas de escrita HTML e CSS muito completas
- excelente "search&replace" (corrigir erros repetidos)
- corrector ortográfico (integrado com os do Word)

Melhor "validador" online:
Net Mechanic
- os resultados podem ser enviados por email
- verifica o código e as ligações (até 25 por página)
- verifica problemas de compatibilidade entre browsers (IE, NS)

Melhor rastreador de endereços (para caçar os espertinhos que enviam mensagens anónimas, por exemplo):
Ay Spy V1.2
É muito giro. Só vendo. Não permite saber quem é a mãe do sacana, mas quase. Suponho que a versão paga até diga quanto pesa, a mãezinha.

Melhor corrector de texto (ortográfico, sintáctico):
FLIP (este não é grátis)
- pode ser configurado também para corrector morfológico (regras gramaticais, tipos de discurso, etc.)
- integração com dicionários temáticos
- tradução automática (parte online)
- regras de hifenização
- sinónimos

Melhor forma de corrigir texto de weblog:
1. Escrever no Word (ou outro processador de texto), sem formatações
2. Accionar o corrector ortográfico incorporado (tecla F7)
3. Corrigir
4. Seleccionar o texto a copiar
5. edit/copy ou teclas Ctrl+C
6. "Colar" no editor de "posts" (edit/paste ou teclas Ctrl+V)
7. Formatar margens, parágrafos, tipos de letra, etc.
8. Post e Publish, ou ambos

Melhor motor de busca (além da Google, claro):
Vivíssimo
- "clustering search" (pesquisa temática)
- organização automática de resultados
- resultados provenientes de dezenas de motores de busca externos
- pesquisa avançada REALMENTE avançada

Melhor regra nº 1 para mexer no "template"
Fazer sempre "backup" da versão actual e testar localmente (ver acima).

Melhor regra nº 1 para "posts"
Introduzir e escrever entre as tags <div align="justify">(texto, bl&aacute;bl&aacute;bl&aacute; )</div> a não ser que o "post" contenha muitos links, ou seja um poema, por exemplo; nesse caso, é melhor não pôr lá tags nenhumas. O alinhamento "default" (pré-definido) è à esquerda. Isto também pode ser escrito no próprio "template", mas não é muito conveniente.

Melhor maneira de trabalhar em computadores:
- usando sempre calçado com sola de borracha
- tentando manter postura de meio "H" (pernas e tronco, dois ângulos rectos)
- ter sempre os manuais à mão (RFM, read the fuckin' manual); ou usar sistematicamente a tecla F1
- aprender primeiro e fazer depois; o contrário costuma dar mau resultado

Melhor código para posts (no espaço respectivo do "template")

Onde diz <div class="padded footer">substituir "posted by" por "enviado" (ou coisa que o valha) e manter apenas
<a href="<$BlogItemArchiveFileName$>#<$BlogItemNumber$>"
<$BlogItemDateTime$></a></div>
A identificação do autor do "post" <$BlogItemAuthorNickname$> apenas deve aparecer se houver mais do que um; neste caso, talvez seja bom preceder com mudança de linha: <BR>.
Por baixo do "template" em uso, a Blogger explica o significado e a ortografia de todas as tags. É conveniente consultar, mesmo sabendo que "ler dá trabalho", como dizem os estudantes e outros adeptos militantes da ignorância e do copianço.


Melhor conjunto de ferramentas de "limpeza" e de recuperação:
Dougknox
- desinstalar o (maldito) Windows Messenger... por exemplo
- APAGAR ficheiros "não apagáveis"
- reparar e/ou recuperar configurações e instalações

Melhor ferramenta de BACKUP:
Argentum backup
Faz o que diz e tem uma versão grátis.

02:17

Isto é uma casa de respeito, cáspite



A pedido de várias famílias, o BL decidiu retirar diversas palavras consideradas ofensivas, abusivas, latrinárias, etc., isto tem sido um nunca mais acabar de reclamações adjectivantes.
Por conseguinte, e oficialmente:

retiramos a palavra langonha, ou coisa que o valha
retiramos a palavra caralho e grosserias que tais
retiramos a palavra putanheiro e quejandos (puta, putedo)
retiramos a expressão idiomática putas e vinho verde
retiramos a palavra fodeu e "derivados" (foda, fodilhão, foda-se, etc.)
retiramos a palavra cona, sufixada aumentativa ou diminutivamente
retiramos a palavra cu, nas mesmas condições da anterior
retiramos a palavra merda e tudo o que se lhe assemelhe
retiramos a palavra porra ou alarvidades menores, mas de igual quilate e não menos graves
retiramos a expressão (parte, em rigor) que te pariu, em todos os casos de grau, número ou género
retiramos, por fim, quaisquer outros termos ou expressões que, de alguma forma, possam ferir olhos, ouvidos ou susceptibilidades mais sensíveis.

A todos aqueles que nos escreveram, telefonaram ou prosaicamente insultaram cara-a-cara, as nossas mais humildes desculpas. Damos de bom grado a outra face. E, de facto, como nos fez ver uma alminha mais caridosa, nem o facto de ter sido MMBB (até o nome soa a badalhoquice, raios) a escrever a maioria daquelas bojardas nos iliba de responsabilidades. Nós é que reproduzimos, sem a tal nos obrigar coisa alguma. Correcto.
Pronto. Aqui fica o penhor, qual vergastada, porventura mal dada, em riba dos próprios lombos. Retiradas todas aquelas emporcalhantes coisas, fica assim o BL são e escorreito, limpo de toda a culpa, mais elevado, absolutamente próprio, tanto para indivíduos como para as suas respeitáveis famílias.
Saúde.


00:17


13.5.03

O quê da quê?



Não se fala de outra coisa. O DN já vai no segundo dia consecutivo com artigos de página inteira sobre a "matéria". A Paragem refere-se-lhe com, digamos, parcimónia. Ainda não fui lá ver, mas o incontornável abrupto/JPP, pois com certeza, efectivamente, já se lhe deve ter também referido.

Trata-se de uma coisa enigmaticamente designada por O Fulgor da Língua e pretende vir a enjorcar o mais longo poema da História; tudo com maiúsculas. Achamos a ideia excelente, até porque no Guiness Book of Records ainda temos pouquíssimas coisas, e a poesia portuguesa não desmerece de feitos como o maior mural de moedas do universo ou o da maior desertificação (51%) da História. São coisas assim que nos fazem sentir cada vez mais reconfortados pela nossa portugalidade. Parece que, além do maior poema do mundo, também temos heróis que se vão atirar, e também de cabeça, à homérica tarefa de confeccionar a maior salsicha de sempre; ou será chouriço, que é mais nacional; enfim, sem certezas, enchido é, certamente.

No entanto, porém, contudo, a gente vai-se ao tal site do "fulgor" e, hoje por hoje, nada, nestes, népia: só "a partir de 15 de Maio". Ora bolas. A língua por enquanto não é comprida, se bem que já lá esteja um esplêndido mapa-mundi. Presume-se que o tal de poema colectivo lhe há-de dar a volta. Ora pois há-de.


16:22

13 de Maio


Hoje é dia de nossa senhora Fátima Felgueiras

esta frase é candidata ao prémio de Lugar-Comum do Ano. Também nomeada para o troféu de Lugar-Nenhum.

00:07



Bloco-notas Web

powered by FreeFind



cxmail@iol.pt